AMAM dá início ao planejamento para as comemorações dos 50 anos

A Associação Mato-grossense de Magistrados (AMAM) deu início aos preparativos para a comemoração dos 50 anos da instituição e dentre os projetos está a criação de uma medalha benemérita e a elaboração de um livro. O assunto foi debatido durante reunião na Assembleia Legislativa.

O presidente da AMAM, juiz Tiago Abreu, apresentou o projeto referente às comemorações dos 50 anos que devem ser finalizadas em 8 de dezembro, Dia da Justiça, e também aniversário da associação. O conselheiro da AMAM, juiz Leonardo Pitaluga, acompanhou a reunião, juntamente com a presidente em exercício da ALMT, deputada Janaina Riva, e o deputado Nininho, procurador  da AL Ricardo Riva, secretária de Comunicação da Casa, Rose Felfili, e o secretário de Patrimônio, Luiz Fernando da Silva Flaminio.

Janaina Riva destacou a importância da associação e disse que irá buscar meios para apoiar o projeto da AMAM por entender necessária as celebrações do jubileu de ouro da entidade. O deputado Nininho também defendeu a parceria entre a Assembleia e a instituição para execução das ações e pretende se manter à frente para garantir a execução do livro e da medalha.

A AMAM iniciou em dezembro de 2018 as comemorações pelos 50 anos de fundação, que se estendem até dezembro de 2019. Na reunião, o magistrado falou sobre o lançamento do livro que resgata meio século de história, ressaltando os personagens, momentos importantes e ações em prol da magistratura e da sociedade mato-grossense. Será uma edição de capa dura e ricamente ilustrada com fotos de momentos e pessoas importantes de vários períodos da trajetória da Associação.

Tiago explicou também a ideia de fazer uma medalha para agraciar pessoas que contribuíram desde a fundação da entidade até os tempos atuais para crescimento, desenvolvimento e consolidação da associação. Ao contar essa história, a AMAM também rememora passagens importantes da história de Cuiabá e de Mato Grosso, bem como faz uma justa homenagem a pessoas cujo trabalho impactou positivamente a vida dos mato-grossenses. Entre seus ex-presidentes e ex-diretores estão pessoas que desempenharam funções importantes tanto no âmbito do Judiciário, Legislativo, bem como do Executivo, assim como se destacaram na literatura e na formulação de propostas para o aperfeiçoamento das leis e do Direito.

Histórico

A Associação Mato-grossense de Magistrados (AMAM) foi fundada no dia 8 de dezembro de 1968, em Cuiabá (MT), com objetivos sociais como o trabalho pelo crescimento, prestígio e independência do Poder Judiciário, estímulo à cultura do Direito e promoção do aprimoramento dos magistrados. Também prevê em seu estatuto a defesa do Estado Democrático de Direito, preservando os direitos e garantias fundamentais, individuais e coletivos, e os princípios constitucionais da Administração Pública.

 

Fonte: Pau e Prosa Comunicação

Fotos: Jardel da Silva