Campanha encampada pela AMAM distribui 5 mil máscaras na Grande Cuiabá

A Associação Mato-Grossense de Magistrados (AMAM) participa da campanha de doação de máscaras coordenada pela juíza Adriana Coningham e que já distribuiu mais de 5 mil itens para diferentes públicos. Além da entidade e de outros magistrados, a ação acabou envolvendo membros do Ministério Público e o Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC), se espalhando também para outras regiões do estado.

A magistrada, que atualmente é juíza auxiliar da vice-presidência do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT), conta que a ideia surgiu antes da determinação do uso obrigatório de máscaras. “Foi quando vimos que a OMS recomendou a utilização para diminuir o contágio. Então conversei com o presidente da AMAM, Tiago Abreu, e decidimos fazer a distribuição para a comunidade, lançando uma campanha entre os juízes”, lembra.

No início a ação ficou entre os magistrados, depois começaram a aparecer outras pessoas interessadas em contribuir, como empresários e membros do Ministério Público. Com os recursos obtidos, foram compradas máscaras de empresas locais que produziam o item de proteção. Em seguida, a parceria passou a contar com a participação do Centro de Ressocialização de Cuiabá (CRC). “Nós adquirimos o material e os reeducandos passaram a fabricar para nós. Eles inclusive estão produzindo mais uma leva que deverá ser entregue em breve”, informa a magistrada.

“Os reeducandos queriam contribuir de alguma forma com a sociedade. Então isso também foi muito bacana, porque foi uma oportunidade que eles tiveram para ajudar. Vale ressaltar que isso conta para eles como dia trabalhado e depois representará redução na pena deles”, ressalta. A união com o sistema carcerário fez com que a iniciativa se multiplicasse pelo estado, com outras cadeias públicas e presídios realizando o mesmo trabalho, comemora Adriana. “Acabou não sendo uma ação só daqui. Se multiplicou porque outras instituições que necessitavam pediram. Isso foi muito bom também”, diz.

Adriana calcula que tenham sido distribuídas mais de 5 mil máscaras. As formas foram as mais diversas. O presidente da AMAM, Tiago Abreu, e outros magistrados levaram uma parte quando fizeram a doação de cestas básicas em bairros carentes da Capital, exemplifica. Também foram destinadas a projetos sociais e até para motoristas nas estradas. Para esta, salienta a juíza, foi feita uma parceria com a Polícia Rodoviária Federal (PRF) e atendeu especialmente caminhoneiros.

Para o presidente da AMAM, Tiago Abreu, ações como essa são importantes pois aproximam ainda mais o Judiciário da sociedade, além de reforçar a posição da Associação como instituição de utilidade pública. “Esta é mais uma iniciativa que encampamos e nos enche de orgulho, pois, em nosso entender, o papel da AMAM não deve se restringir à defesa das prerrogativas dos magistrados, mas também contribuir com a comunidade dentro das nossas possibilidades”, frisa o juiz.