Pleno do TJMT elege Mário Kono desembargador e aprova promoções e remoções

A Associação Mato-grossense de Magistrados (AMAM) parabeniza e deseja sucesso ao novo desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, Mário Roberto Kono de Oliveira. Ele foi empossado nesta segunda-feira (1º de julho), após ser eleito pelo Pleno do TJMT para ocupar a vaga aberta com a aposentadoria da desembargadora Cleuci Terezinha Chagas. Também foram aprovas cinco promoções e uma remoção de magistrados, pelos critérios de antiguidade e merecimento.

Mário Kono tem 58 anos e é juiz há 27, tendo atuado nas Comarcas de Nova Xavantina, São Félix do Araguaia, Barra do Bugres e Cáceres, até ser designado para o Juizado Especial Criminal de Cuiabá (Jecrim), onde atuou por 20 anos. Foi pioneiro na implementação da Justiça Terapêutica em Mato Grosso, determinando tratamento e aplicando penas alternativas nos casos de alcoolismo, dependência química, psicopatias e neuroses.

O magistrado iniciou o curso de Direito na Universidade Estadual de Londrina e concluiu na Universidade Federal de Mato Grosso, em 1988. Ao ser empossado juiz aos 31 anos de idade, substituiu a carreira de bancário pela magistratura. Também atuou como professor da disciplina de Direito Penal e Direito Processual Penal no Centro Universitário de Várzea Grande (Univag).

Movimentações

O Pleno do Tribunal de Justiça de Mato Grosso aprovou no dia 27 de junho cinco concursos de promoção e um de remoção de magistrados, pelos critérios de antiguidade e merecimento, para comporem unidades judiciárias de Comarcas do interior, da Turma Recursal Única do Tribunal de Justiça e do Juizado Especial do Cristo Rei.

Para a Turma Recursal Única do TJMT foram aprovadas as inscrições dos juízes Lúcia Peruffo (por antiguidade), então lotada na Segunda Turma Recursal Temporária de Cuiabá, e Gonçalo Antunes de Barros Neto (por merecimento), este atuando na Primeira Turma Recursal Temporária de Cuiabá.

A juíza Sabrina Andrade Galdino Rodrigues, que respondia pela Vara Única de Nobres (146 km de Cuiabá), foi promovida para a 3ª Vara de Mirassol D’Oeste (300 km da Capital) pelo critério de merecimento. Pelo critério de antiguidade, a juíza Augusta Prutchansky foi promovida para a 2ª Vara Criminal de Barra do Garças (509 km de Cuiabá) e o juiz Adalto Quintino da Silva para a 2ª Vara de Alto Araguaia (415 km ao sul).

A inscrição da juíza Luciene Kelly Marciano Roos ao procedimento de remoção para Pontes e Lacerda (448 km de Cuiabá) foi deferida, de modo que a magistrada deixa a Diretoria do Foro de Nova Xavantina (645 km de Cuiabá) e passa a responder pela 3ª Vara de Pontes e Lacerda.

Pau e Prosa Comunicação