Projeto apoiado pelo Judiciário realiza 2416 casamentos gratuitos na sede da AMAM

Ao som da música “Shalow”, de Lady Gaga, a coordenadora de eventos Ana Cristina de Almeida, 25, e o mecânico Jeferson Henrique Gonçalves, 25, pisaram juntos no tapete vermelho e caminharam até o altar para dizer sim e formalizar a união de 13 anos. O caminho foi aberto pelas filhas do casal Marya Feranda, 8, e Emanuelly Cristhyna, 6, com trajes de daminhas.
O casal com trajes típicos, ela de vestido branco, grinalda e buquê e ele de terno foram os escolhidos para representar os 291 casais que participaram do casamento social realizado pelo Projeto “Cartório Amigo – ações para um futuro melhor”, desenvolvido pela Associação dos Notários e Registradores do Estado (Anoreg-MT) em parceria com a Rede de Responsabilidade Social (Rares) e a Corregedoria de Justiça do Poder Judiciário. “Nunca foi um sonho casar de véu e grinalda, mas como surgiu a oportunidade e não teríamos custo, resolvemos aproveitar. Daí pensei, já que é pra casar não pode faltar nada”, revelou Ana Cristina minutos antes da cerimonia.
O palco da cerimonia foi a Associação Mato-grossense dos Magistrados (Amam). O salão social ficou pequeno para tantos casais em busca do sim. Os convidados ficaram do lado de fora e puderam acompanhar tudo por um telão, a estimativa é que 2 mil pessoas participaram do evento.
Durante a celebração feita pelo juiz de paz da Comarca, Edésio Arruda de Jesus, muita emoção. Para a dona de casa Elizetth Cristina Ferreira da Silva, 26, e o promotor de vendas Alexandre Adriano Ferreira da Silva, 32, parecia que a cerimonia era só deles. Juntos há cerca de um ano, já são uma família, eles têm juntos um filhinho de quatro meses e o filho dela de seis anos de um relacionamento anterior. Agora a família está formalizada perante a Lei dos Homens.
“Só quero agradecer a Jesus por tudo que ele fez na minha vida e da minha esposa. Ajoelhei ali em referência a ela e ao amor verdadeiro, porque ela merece”, declarou Alexandre. “É a realização de um sonho. É muito bom saber que estou sendo amada por este homem. Ele disse sim para mim ajoelhado, só tenho a agradecer a Deus que me presentou”, disse Elizetth com os olhos lacrimejando. “Agradeço a Anoreg e o Judiciário que organizaram este evento para aqueles que não têm um dinheirinho a mais, que nos deram esta oportunidade para que neste dia celebrássemos o nosso amor ”, agradeceu.
Cartório amigo – No sábado (10) ocorreu em todo o Estado a segunda edição do projeto ‘Cartório Amigo – ações para um futuro melhor’. Ao todo foram realizados 2416 casamentos sociais em Mato Grosso. Na Comarca de Várzea Grande foram 70 casamentos, realizados no Fórum.
O juiz-auxiliar da Corregedoria de Justiça do Poder Judiciário, José Arimatéa Neves Costa, acompanhou a cerimônia em Cuiabá e lembrou que a realização do evento é uma determinação do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e cabe a Corregedoria da Justiça a fiscalização, em caráter geral e permanente, das atividades das delegações notariais e de registros.
“O projeto conta com o apoio do Tribunal de Justiça, através da Corregedoria Geral da Justiça, e visa incentivar a legalização dessas uniões de fato, que são famílias já constituídas mas que não tem condições de custear um casamento. É um momento de esforço concentrado do TJ e da Anoreg para realizar um casamento sem nenhuma taxa ou despesas extra para essas pessoas legalizarem-se perante o Direito Civil Brasileiro”.
O diretor da Escola da Magistratura Mato-Grossense (Emam), juiz Emerson Cajango, que cedeu o espaço para a realização a cerimonia destaca que a ação é mais uma demonstração da aproximação do Poder Judiciário com a população. “A missão dos magistrados não é apenas julgar ações. Temos uma função social e a realização do casamento social é uma demonstração dessa preocupação”, afirma.
O juiz de paz da comarca de Cuiabá, Edésio Arruda de Jesus, aponta que além da realização de um sonho o casamento social é um “presentão” para os casais. Já que de acordo com a tabela de Emolumentos dos cartórios, estipulada pela CGJ, uma certidão desta não sai por menos de R$ 350. “Se coloque no lugar destes casais. É uma felicidade muito grande. Eles conseguiram regulariza uma situação, que muitas vezes só pela falta de condições financeiras não lhe era permitido. A família e nosso único patrimônio, neste sentido me sinto honrado em participar da união destes casais”.
Serviços – O projeto tem a finalidade de proporcionar o resgate da cidadania à sociedade mato-grossense, oferecendo diversos serviços gratuitos. Segundo a superintendente da Anorg, Anete Ribeiro, 118 cartórios fizeram a adesão ao Cartório Amigo em 2019.
Das 9h ate às 18h as serventias desses cartórios fizeram atendimento ao público com pedidos de certidão de casamento, nascimento e óbito. Cuiabá teve atendimento na Praça da Republica. “Tivemos muito pedidos de certidão de nascimento e procura para saber do que se precisa para fazer um inventário, além de registro de imóveis”, citou.
Veja as fotos no Flickr. Clique AQUI.
Fonte: TJMT